Archive for the 'Friday Night Lights' Category

Sobre Friday Night Lights

Esqueci de colocar aqui que comecei a escrever sobre a série para o Guia de Seriados.

Comentários sobre o episódio da semana passada

Friday Night Lights: quanto uma série pode te fazer chorar?

A resposta é: muito! Vou confessar que já tinha derramado algumas lágrimas por cortesia de Eric Taylor uma ou duas vezes. Espero que vocês não me julguem por isso, mas qualquer pessoa que já tenha assistido à série vai entender. A série é linda e, basicamente, honesta o suficiente pra fazer com que você chore sem se sentir mal. Por “honesta” eu quero dizer que quando um personagem precisa dizer algo que, em qualquer outra situação, pareceria brega ou sentimentalóide, ele diz sem pedir desculpas e você percebe que é de verdade. Ainda não descobri se é o texto ou se são os atores.
Continue lendo ‘Friday Night Lights: quanto uma série pode te fazer chorar?’

Luzes de Sexta

Estou assistindo a uma reprise de Friday Night Lights e queria aproveitar a oportunidade de dizer, mais uma vez, o pecado que é essa série não ser mais assistida. E nem tem nada a ver com Tim Riggins, eu juro! Às vezes eu tenho certeza que é a fotografia, a sensação de que eu tô sempre espiando o que eles fazem; outras eu tenho certeza que é o Kyle Chandler e só o Kyle Chandler seria o suficiente, eu assistiria o “Kyle Chandler Show” sem problemas.

Mas eu sei que é o todo mesmo. A série é toda sensacional.

The Tim Riggins show

Tim Riggins  - Friday Night Lights

(esse post tem spoilers sobre episódios já exibidos nos EUA)

Longe de mim dizer que Tim Riggins ocupando grande parte da minha hora dedicada à Friday Night Lights é uma coisa que eu não gosto. Porque, vamos ser sinceros, olha pra ele!

Mas eu sinto falta do resto da “turma” sabe? Cadê o Matt Saracen? Acho que o episódio da semana passada (nos EUA) foi o primeiro dessa temporada que eu vi Landry e Matt conversando. É de se pensar que depois de ter matado um cara, Landry fosse conversar com o amigo, né?

Smash sempre fica com as estórias repetitivas: para qual faculdade ir, o preconceito por namorar uma menina branca. Ano passado ele namorava uma garota bipolar que simplesmente desapareceu sem dar motivos!

Jason Street também tomou chá de sumiço, com uma ou duas cenas por episódio! Por mais que eu goste de Tim Riggins, eu queria o velho Friday Night Lights de volta; até da Lyla eu ando sentindo falta, acredite ou não!

Mas, pra não dizer que eu não elogiei, os Taylos continuam ótimos, e a chegada da bebê Gracie não estragou esse núcleo do programa, muito pelo contrário! Agora, por favor, arrumem o resto e me dêem meu show querido de volta.

Friday Night Lights – Episódios 2×05 e 2×06

FNL é uma série que existe em função dos pequenos momentos, sabe? É uma série teen com todos os clichês que isso acarreta, mas de vez em quando, você tem uma frase ou um ângulo diferente da câmera e você sente. Não é só um programa na TV, são pessoas com quem você se importa, por mais maluco que isso possa parecer.

Na semana passada, foi a cena (muito bem fotografada) em frente ao bar mexicano, em que Lyla dança com Jason e depois com Tim. Procurei aqui no Youtube e não encontrei, mas foi maravilhosa, considerando tudo que já aconteceu entre os três; são pequenos detalhes como a maneira como Jason entrega Lyla a Riggins que faz você prender a respiração e pensar: “Meu Deus… POR QUÊ ninguém assiste à essa série por lá?”

E essa semana, eu chorei. Chorei porque eu sou boboca e completamente apaixonada pelo Coach Taylor, sabe como é. Mas veja bem: Jason tinha acabado de entregar ao Técnico todas as suas fitas com todos os seus jogos gravados porque ele disse que tinha que se liberar do Jason de antes e descobrir quem ele era agora. E o técnico responde:

You lift up those around you.I hope I didn’t let you down.

(Se eu fosse traduzir, estragaria metade da emoção, mas é algo mais ou menos assim: Você levanta às pessoas ao seu redor. Eu espero não ter te decepcionado).

Lágrimas e mais lágrimas e planos de começar uma campanha para que o Kyle Chandler seja o Presidente do Universo se seguiram.

Foi lindo. A série é linda.

O começo de temporada de Friday Night Lights

FNL

Friday Night Lights começou sua segunda temporada da maneira que terminou a primeira: tudo muito bom. Muito bom mesmo!

Claro que ocorreram escolhas que eu não entendi: toda a estória de Landry e Tyra serem unidos pelo assassinato e coisa e tal. Isso é o tipo de coisa que eu esperaria que Friday Night Lights evitasse, mas eles ainda têm o benefício da dúvida comigo. Portanto eu vou esperar um pouco até começar a reclamar!

O Casal Modelo, Julie e Matt, não são mais tão perfeitos e o namoro acaba logo no segundo episódio. Por vários motivos, não só porque um novo garoto ou garota apareceu na escola: a menina começa a se questionar e ele, porque ainda é inseguro mesmo depois de ter levado o campeonato de futebol, não faz muita coisa para tentar evitar e assiste de camarote a decisão da namorada.

Mas, assim como na temporada anterior, o grande trunfo de FNL são os Taylors. Eu me recuso a repetir aqui que Kyle Chandler e Connie Britton são o melhor casal da TV atualmente (mas eles são, ok?). E Mamãe Taylor, com bebê novo, começa a apresentar o que eu penso ser sinais de depressão pós-parto, tudo isso longe do marido (que continua com o cabelo mais expressivo que eu já vi, é sério!) e tendo que lidar sozinha com a filha mimada.

Eu ainda tenho que mencionar Lyla e Riggins: Lyla entrou para a Igreja e virou uma devota fervorosa, e Riggins continua no mesmo caminho torto que antes: bebida, mulheres, falta de respeito por qualquer figura de autoridade. Lyla tenta esconder, mas ela tá se segurando para não pular em cima de Riggins (não que eu a culpe, really.)

Esses dois primeiros episódios mostraram que a série tem tudo pra apresentar um segundo ano brilhante de verdade! É só esperar que as pessoas resolvam assistir!

Friday Night Lights – Episódio 3 – “Wind Sprints”

FNL

E os Panthers perdem! Tragédia! Eu fiquei assustada ao perceber que o emprego de Técnico realmente pode ir para o beleléu com uma derrota apenas. Buddy Garrity é o personagem mais nojento até agora. Quase patético até, um homem crescido tão obcecado com um time de futebol de colégio, e o homem não tem problema em deixar claro que Taylor pode ser mandado embora.

Então ele convence o técnico a conhecer um quaterback que pode ser uma opção ao coitado do Matt. (Quaterback esse que, devo dizer, matou o Sam Winchester e abriu as portas do inferno e por isso não tem nenhum pouquinho da minha confiança, mas isso é assunto pra outro post.)

Smash começa a colocar as manguinhas de fora e diz quase abertamente que insistir em Matt Saracen é um erro. Sabe o que o Taylor faz? Leva todo mundo para o meio do nada, debaixo de um temporal, e faz mais um dos discursos que me deixam arrepiada!

Tim ainda não foi visitar Matt no hospital e sabe por quê? Porque ele acha que deveria ter impedido o acidente. Não faz sentido, mas hey, quem sou eu pra julgar o que se passa na cabeça do bad boy de bochehas rosadas?

E depois que Jason finalmente manda Lyla calar a boca ( THANK YOU!), ela vai tirar satisfações com Tim. Lembra quando eu disse antes da série estrear que ela tinha clichês? Bom, esse é o grande clichê: Lyla e Tim se beijam. Blah. Mas eu acho que é o que normalmente aconteceria.
Enfim, talvez não tenha sido tão bom quanto os outros episódios, mas ainda vale mais a pena do que muita coisa na TV!


Tvlicious

Quem? Eu. A Ju, oras.

Quer reclamar ou dizer as milhões de razões pelas quais eu sou o máximo? tvlicious@gmail.com

Twitter

Páginas

a

Parceiros

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket
Blog Teorias LOST

Numbers

  • 76,725 hits
Anúncios